Jogo decisivo em Armênia pela última vaga ao Mundial
28-07-2022

Compartilhar:

  • A partida pelo terceiro lugar terá início às 19h00 locais e definirá o último lugar direto.
  • A equipe que perder ainda terá mais uma chance, pois jogará na repescagem por um lugar junto com o Chile, que terminou em quinto lugar.

Há mais um lugar no avião. Um bilhete sem escalas. Será a Argentina? Será o Paraguai? O sonho de ambas as equipes ainda está intacto: tem muita coisa em jogo. Nesta sexta-feira, às 19h00, horário local, no Estádio Centenário em Armênia, Argentina e Paraguai entrarão na  disputa pela última vaga no Mundial Feminino FIFA 2023 – Austrália e Nova Zelândia. Isso sim: quem não vencer não irão de mãos vazias, porque ainda tem a repescagem.

Argentina jogou sua semifinal na segunda-feira contra as anfitriãs e perdeu pela mínima. Apesar de um bom jogo, a equipe de Germán Portanova não conseguiu anotar e o gol de Linda Caicedo caiu como um balde de água fria para as albicelestes. No entanto, de cabeça erguida, querem essa vaga para voltar a uma final de Copa do Mundo, assim como fizeram em 2019, quando jogaram na França.

Paraguai enfrentou com categoria uma sólida seleção brasileira, mas perdeu por 2 a 0. A partir dos 16 minutos, quando Ary Borges marcou o primeiro gol, a Canarinha tomou o controle e já as albirrojas não puderam mais virar o jogo. Entretanto, o resultado das semifinais não ofuscou o grande torneio do Paraguai, que chegou às semifinais e ao menos igualou sua melhor campanha na CONMEBOL Copa América Feminina de todos os tempos. E, é claro, o sonho de se classificar para a Copa do Mundo Feminina pela primeira vez permanece intacto.

Além do resultado, ambas as equipes já se qualificaram para os Jogos Pan-Americanos de Santiago 2023, onde Chile e Venezuela também estarão participando. Mas o prêmio mais importante que tanto a Argentina quanto o Paraguai estarão procurando é o cobiçado passe direto para a Copa do Mundo, disponível apenas para aqueles que terminarem em terceiro lugar.

Entretanto, a equipe perdedora terá mais uma chance, pois se classificará para o torneio de repescagem a ser realizado de 17 a 23 de fevereiro com outras nove seleções na Nova Zelândia. Haverá, portanto, dez equipes competindo pelas três últimas vagas. Chile também se classificou para esse play-off.

Armênia será o lugar onde mais um sonho poderá ser realizado. De quem será?

-Dados-

Lugar: Estádio Centenário, Cidade da Armênia

Hora: 19.00h hora local

TV

Para Argentina: DirecTV.

Para Paraguai: GEN TV.

Árbitra:
Árbitra Assistente N°1:
Árbitra Assistente N°2:
4a. árbitra:
5a. árbitra:
Assistente de árbitras:

-Estatísticas-

  • Após quatro jogos da CONMEBOL Copa América Feminina, a Argentina está invicta contra o Paraguai, vencendo três e empatando um. Também manteve um seu arco intacto nesses quatro jogos.
  • Argentina está procurando terminar uma série de três jogos consecutivos sem marcar gols nos mata-matas da CONMEBOL Copa América Femenina (3D). Sua racha mais longa sem fazer isso é cinco (2E 3D) entre 2010 e 2014.
  • Das equipes que se classificaram para as semifinais desta CONMEBOL Copa América Feminina, Paraguai é a equipe que passou o menor número de minutos empatando em suas partidas (132) e a terceira estando em vantagem (203, superada pela Colômbia com 332 e pelo Brasil com 385).
  • Argentina é a equipe com a maior diferença entre gols marcados e gols esperados na CONMEBOL Copa América Femenina. A seleção de Portanova fez 10 gols acumulando 7,32 xG com base na probabilidade de seus chutes, resultando em uma diferença de +2,59 gols.
  • Das equipes que se classificaram para a rodada final da CONMEBOL Copa América Feminina, o Paraguai teve a maior porcentagem de finalizações tentadas de fora da área: 48,6% de suas finalizações foram de fora da área, vencendo seus adversários nesta partida pelo terceiro lugar, a Argentina, com 38,9%.
  • Das equipes classificadas para a fase final da CONMEBOL Copa América Feminina, a Argentina tem a melhor porcentagem de conversão de remates da edição atual: 18,5% de seus disparos encontraram a parte de trás da rede. O Paraguai, por outro lado, tem o menor índice, com 12,1%.
  • Contando as duas últimas edições da CONMEBOL Copa América Feminina, nenhuma jogadora completou mais dribles do que Estefanía Banini, com 52, o que significa 20 a mais do que sua concorrente mais próxima, a colega de equipe Florencia Bonsegundo (32).
  • Duas das jogadoras com mais jogadas de desvio da atual CONMEBOL Copa América Feminina se encontram nesta partida: Agustina Barroso (Argentina) lidera com 30, enquanto María Martínez (Paraguai) a segue com 29.
  • Rebeca Fernández (Paraguai) marcou um dos dois gols com os passes prévios na atual CONMEBOL Copa América Feminina. Contra a Bolívia, a sequência contou com 12 passes, assim como o gol de Duda (Brasil) contra o Peru.
  • Érica Lonigro é a terceira jogadora da atual CONMEBOL Copa América a marcar o gol mais rápido depois de sair do banco: ela anotou aos 3 minutos e 1 segundo contra o Peru. Está atrás apenas de Joselyn Espinales (Bolívia) contra o Equador aos 1:32 e Marthina Aguirre (Equador) contra o Chile aos 53 segundos.

OPTA

Compartilhar: