Encerramento de uma histórica CONMEBOL Copa América Feminina
29-07-2022

Compartilhar:

  • A Final no Estadio Alfonso López será lotada: 24.500 pessoas darão cor às arquibancadas.
  • Uma edição histórica da competição que terá sua Final com assistência do VAR e prêmio monetário para ambas as seleções.

Histórico. O balanço desta nona edição da CONMEBOL Copa América Feminina não poderia ser melhor. Uma competição realizada em conjunto com o crescimento sustentável da disciplina no continente e no mundo inteiro, à altura das expectativas em termos esportivos, organizativos e de assistência. «O nível e qualidade esportiva deram uma grande surpresa e isso nos deixa muito contentes. O progresso do futebol feminino para a CONMEBOL é muito importante», declarou Nery Pumpido, Secretário-Geral Adjunto e Diretor de Desenvolvimento da CONMEBOL na rodada de imprensa desta sexta-feira, prévia ao jogo pelo terceiro lugar.

Em dita conferências, as autoridades realizaram um balanço e compartilharam alguns dos números mais importantes desta Copa, com especial ênfase no prêmio monetário que as campeãs e vice-campeãs receberão, um enorme passo para a igualdade e um reconhecimento merecido para ambas as equipes. As vencedoras receberão 1.500.000 dólares, enquanto a equipe do 2º lugar receberá 500.000 dólares.

«Os prêmios que, pela primeira vez estão sendo entregues para as seleções finalistas, serão uma grande contribuição para a preparação das equipes que classificam para a Copa do Mundo de 2023 e os Jogos Olímpicos», explicou Thiago Jannuzzi, Gerente-Geral de Competições de Clubes da CONMEBOL.

Cabe ressaltar que este torneio contou com a participação de 230 atletas, 3.000 pessoas acreditadas trabalhando na competição, 53 delegações de árbitros, 500 jornalistas credenciados e transmissões de TV e YouTube que chegaram a 143 territórios no planeta inteiro.

Sobre o crescimento da participação feminina, também foi feita a menção das 66 mulheres que formaram parte dos corpos técnicos das 10 seleções participantes, além das quatro treinadoras que dirigiram no torneio: Emily Lima (Equador), Pamela Conti (Venezuela), Rosana Gómez (Bolívia) e Pia Sundhage (Brasil) que poderia ser a primeira DT mulher em ser campeã se conseguir vencer a Final.

Quanto ao lado esportivo, as três sedes onde foram disputadas as partidas (Cali, Armênia e Bucaramanga) receberam uma grande quantidade de público nos estádios, um total de 160.000 entradas vendidas em toda a competição e uma final que terá um Alfonso López lotado para a Grande Final.

Dito encontro, que definirá quem será a seleção campeã da nona edição, contará com a assistência do VAR, outro dos grandes avanços nesta competição. No total participaram do torneio 33 árbitras e assistentes, com a destacada participação de 3 árbitras europeias, no marco da cooperação estratégica interinstitucional entre a CONMEBOL e a UEFA.

A Final terá uma convidada de luxo: a pessoa que trará o almejado troféu ao campo será a brasileira Formiga, jogadora com mais presenças mundialistas e olímpicas (sete vezes em cada torneio), quem se retirou da prática esportiva em 2021.

Além disso, na prévia será tocada mais uma vez a canção oficial do torneio, chamada “RockStar”, que representa um símbolo de fortaleza para as mulheres dentro e fora do campo. Os que colocarão música e cor no encerramento será o duo porto-riquenho, Domino Saints, que brindarão um espetáculo cheio de emoções que fará o continente vibrar na cerimônia de clausura.

«A repercussão e visualização deste torneio é muito grande, não só a nível sul-americano, senão a nível mundial. Isto marca um antes e um depois a favor do futebol feminino na América do Sul», adicionou Nery Pumpido. Este torneio, além de coroar a melhor equipe sul-americana, também entregará 3 lugares diretos para a Copa do Mundo Feminina 2023, 2 boletos para repescagem, 2 lugares diretos nos Jogos Olímpicos de Paris-2024 (que serão para o Brasil e a Colômbia) e três boletos para os Jogos Pan-Americanos Santiago 2023 (que serão para Argentina, Paraguai, Venezuela e Chile, por ser país anfitrião).

Termina a nona edição, porém ficarão as lembranças de uma CONMEBOL Copa América Feminina que foi histórica e que deixará sua marca na história desta competição.

Compartilhar: