O goleiro Emiliano Martínez e uma CONMEBOL Copa América inesquecível

fbl-2021-copa-america-arg-bra-7

Seu nome é Damián, mas todos o conhecem como Emiliano. Ou melhor, ‘Dibu’.  Damián Emiliano ‘Dibu’ Martínez acaba de escrever na CONMEBOL Copa América 2021 sua página mais gloriosa como jogador e o fez da melhor forma possível, com uma história cheia de superação e sacrifício.

O goleiro da Argentina, campeão do torneio mais antigo do mundo, foi sem dúvidas uma das grandes revelações do campeonato. E não foi para menos.

Com apenas 2 gols sofridos em 6 partidas disputadas (no duelo contra a Bolívia o goleiro foi Franco Armani) e 4 jogos sem sofrer gol (líder no quesito no torneio), o homem de 28 anos foi eleito o Melhor Goleiro da CONMEBOL Copa América 2021 e integra a equipe ideal do GET (Grupo de Estudo Técnico da CONMEBOL).

Além disso, o argentino defendeu 85,7% dos chutes que recebeu e teve uma noite consagradora na semifinal contra a Colômbia, defendendo 3 pênaltis para levar a Argentina à grande final. 

Uma história de superação

Nascido em Mar del Plata e formado mais tarde nas categorias de base do Independiente, Martínez migrou para a Europa antes de estreia na primeira divisão argentina: aos 16 anos foi vendido para o Arsenal da Inglaterra e ali começou uma carreira de muitas idas e vindas.

Teve dificuldades para encontrar regularidade na equipe londrina e acabou sendo emprestado por diferentes clubes, como Sheffield, Wolverhampton, Getafe, da Espanha, e Reading, entre outros, sem atingir grande sucesso.

Foi recentemente, em junho de 2020, que Martínez conseguiu ter protagonismo no Arsenal e virou titular, sendo campeão da FA Cup e da Community Shield. Sua história começava a mudar.

Em setembro, foi vendido ao Aston Villa, na transferência mais cara de um goleiro argentino em toda história. Na sua primeira temporada, foi eleito o melhor jogador da equipe e o terceiro melhor goleiro da Premier League, atrás de Edouard Mendy, do Chelsea, e de Ederson, do Manchester City.

A consagração com a Argentina

Paralelamente a sua  consagração no primeiro nível do futebol, chegou sua chance com a seleção. Em junho de 2021, ele foi titular pela primeira, em um jogo com o Chile, e não saiu mais, à frente de Franco Armani, Esteban Andrada e Agustín Marchesín, entre outros.

O resto já é história: uma CONMEBOL Copa América 2021 dos sonhos, o título com a Argentina e o prêmio de Melhor Goleiro da competição, algo que seguramente sonhou muitas vezes, mas que jamais imaginou que chegaria tão rápido.