As quatro equipes que têm tudo para ganhar na Copa: capítulo Bolívia

seleccion-bolivia-marzo-2019-web

Esta é a primeira parte da saga sobre as seleções com histórico para escrever na CONMEBOL Copa América Brasil 2019. 

A CONMEBOL Copa América, chamada de Campeonato Sul-Americano de Futebol no começo da sua história, chegou a La Paz e Cochabamba em 1963, destinos que receberam a competição pela primeira vez.

A cidade de La Paz representou um grande obstáculo para os outros seis participantes, que pela primeira vez jogaram nos 3.600 metros acima do nível do mar, algo que eles nunca haviam experimentado antes, e que o time boliviano aproveitou, preparando uma excelente equipe, com jogadores artilheiros e que no final, os levou a ganhar o título.

A crônica escrita para a publicação “El Diário”, em 29 de março de 1963, relata que “o que aconteceu depois do lançamento só é comparável aos maiores eventos esportivos do mundo”. Uma cidade coberta em bandeiras de glória no meio de cantos e danças, contagiaram toda a cidade com ecos que vinham dos lugares mais distantes do país. Uma vitória que jamais havia sido escrita nas páginas dos recordes esportivos boliviano com a possibilidade de conquistar o título de campeão invicto “.

A crônica se referiu ao que aconteceu no penúltimo jogo da Bolívia, contra a Argentina. A equipe local teve a chance de marcar o gol da vitória após a penalidade decretada em seu favor pelo árbitro peruano Arturo Yamasaki. Foi aos 86 minutos de jogo e o placar mostrava um empate de 2 a 2.

O goleiro argentino Edgardo Andrada se tornou um herói ao defender o pênalti de Max Ramirez, jogando a bola para canto, para dar escanteio para Bolívia, algo que encheu de euforia os jogadores argentinos que pularam em cima de Andrada para comemorar.

Foi tanto a comemoração argentina que ao perceber a situação, em questão de segundos, o boliviano Fortunato Castillo se apressou em cobrar o escanteio. A bola no ar chegou a Wilfredo Camacho, que finalizou de cabeça para marcar o terceiro gol boliviano. Protestou a argentina, mas um gol validado deu à Bolívia a vitória, deixando-os perto do título.

No último jogo do Campeonato, em uma partida emocionante, a Bolívia conseguiu o triunfo sobre o Brasil por 5 a 4, o que lhes deu a honra de conquistar pela primeira vez o troféu do Torneio Sul-Americano de Futebol. Alegria tomou conta de todo o país.

Desde então, 56 anos se passaram, e a CONMEBOL Copa América Brasil 2019 representa para a Bolívia uma nova oportunidade de buscar seu segundo título na história, tendo centenas de páginas para escrever da equipe do altiplano.

Não perca essa saga que na sua próxima publicação mostrará a história da seleção Colômbia, que conseguiu alcançar o troféu da Conmebol Copa América em 2001.

Os dados do torneio do 1963:

  • Os jogadores que eram substituídos podiam entrar novamente no campo.
  • Pela primeira vez, foi autorizado que quatro substituições fossem feitas por equipe.
  • Pela segunda vez, o Uruguai não foi para o torneio. Isso já tinha acontecido em 1925.
  • 21 jogos foram jogados.
  • Um total de 91 gols foram marcados.
  • Bolívia terminou o torneio invicto.
  • Pela Bolívia jogou 3 argentinos: Roberto Cainzo, Eduardo Espinoza e Eulogia Vargas.
  • O técnico da Bolívia foi o brasileiro Danilo Alvim, que venceu o torneio com seu país em 1949.
Entradas
Equipos
Ciudades
Calendario